Pensamentos de Madre Clélia Merloni

Imagem da Notícia


1. Sê fiel aos teus deveres... humilde, desconfiando sempre das tuas opiniões; não te deixes arrastar pelo coração ao que a consciência poderia censurar-te..., e depois tem a certeza de que as consolações e as graças não te faltarão. E, se quiseres viver tranqüila, vive de fé...

2. Apenas começas a sentir os primeiros golpes da injúria ou de outro contratempo, esforça-te para elevar o pensamento a Deus, lembrando-te de Sua inefável bondade e do quanto te ama, e que, por isso mesmo, te envia aquela adversidade a fim de que, suportando-a por seu amor, tua alma vá se purificando sempre mais e assim... possas achegar-te e unir-te a Ele.

3. Pode-se crescer no amor de Deus amando-o, isto é, multiplicando, dia e noite, as aspirações de amor para com Ele. Cada ato de amor é como lenha colocada no fogo: aquece, aumenta a chama do nosso amor.

4. Jesus, vendo André e João que o seguiam sem ousar falar-lhe, e conhecendo, ao mesmo tempo, o desejo de seus corações, dirigiu-se a eles com o semblante pleno de doçura e de bondade e disse: "A quem procurais?" e eles responderam: "Mestre, onde moras?"

5. Coragem e confiança no Santíssimo Coração de Jesus, e tudo acontecerá de acordo com os divinos desejos... Procura retificar tudo o que fazes. Esforça-te para que em teu coração não haja nenhum rancor. Fazei o bem às pessoas com quem não simpatizas. Afasta da mente... todo pensamento que despertaria revolta no teu coração.

6. Oferece todos os teus trabalhos ao Senhor; ama-o e entrega-lhe o coração sem nenhum temor, que ele saberá perfeitamente resolver tuas dúvidas, e te erguer quando caíres. Se o amares, terás todo o bem. Oferece-te a Deus em sacrifício, no silêncio e na paz de espírito.

7. O Espírito Santo nos diz: "Não tardeis em converter-vos ao Senhor e não difirais de um dia para o outro". É grave erro dizer: "Percebo que não sou o que poderia ser; não quero morrer no estado em que me encontro; mas proponho reformar minha vida mais tarde..." Imaginamos que, mais tarde, nossa conversão será mais fácil; ao contrário, nossas protelações a tornam mais difícil, enfraquecendo a graça, fortificando o hábito, endurecendo nosso coração e irritando a Deus contra nós.

8. Concordo perfeitamente com aquele santo que dizia: "O bem não faz barulho e o barulho não faz bem." Portanto... rogo continuamente ao Senhor que vos conserve na humildade, na vida escondida, e permita que exerçais um verdadeiro apostolado, não tanto aos olhos das criaturas, mas no segredo da vossa consciência.

9. Possuindo Jesus, possuímos o mundo todo. Nele gozamos dos bens das outras criaturas, e com maior vantagem, porquanto, possuindo-os em Deus, eles estão isentos de inconstância, de inquietude e de outras misérias que acompanham sempre os bens deste mundo.

10. Um mal que experimentaste, uma ofensa que recebeste, uma derrota do teu egoísmo te perturbam; mas a lembrança desse mal, dessa ofensa, daquela derrota, aumenta centuplicadamente tuas apreensões, e isto sem um resultado positivo: os pensamentos inúteis são um dos maiores obstáculos à nossa santificação.

11. Olhem para os santos com os olhos do espírito; eles as animam e lhes mostram o trono que as espera, a coroa que deve cingir-lhes a fronte, a recompensa que Deus reserva para cada ação boa, para cada oração feita com recolhimento, para cada sacrifício assumido por seu amor, para cada aspiração a Ele dirigida. Como esta visão inflama a esperança; como desperta em nós o desejo de partir para a verdadeira pátria.

12. O Evangelho... diz que os bem-aventurados e os santos são humildes, pobres e desprendidos de tudo. São os corações mansos que sofrem tudo de todos, sem causar sofrimentos a quem quer que seja; eles retribuem o mal com o bem, a censura com o elogio, o ódio com o amor; são os provados que passam seus dias em aflições e lágrimas longe das glórias do mundo; são os zelosos da própria santificação que têm fome e sede de uma justiça sempre maior.

13. Toma cuidado... para que teu coração jamais se perturbe, nem se intrometa com que o inquieta; mas esforça-te sempre por mantê-lo calmo, porque deste modo o Senhor edificará na tua alma uma Cidade de paz, e teu coração será uma casa de delícias. Jesus quer somente que, cada vez que te alteras, voltes a encontrar a calma e tranqüilidade em todas as tuas ações e pensamentos.

14. Afasta... o temor de que Deus te tenha abandonado. Muitas vezes, Jesus não concede imediatamente aquilo que lhe perdes; nem por isso Ele deixa de te amar, antes concede-te outras graças que nem imaginas. De qualquer maneira, deves sofrer em paz essas delongas, sem faltar à confiança filial e à submissão à sua santíssima Vontade...que tanto agradam a Jesus.

15. Em nossas igrejas, Jesus Cristo nos espera, nos chama, nos convida a pedir-lhe com confiança tudo o que queremos, e promete atender-nos. E nós..., como podemos dizer que entramos no seu templo e ouvimos sua voz, se não o fazemos com verdadeiro espírito de fé?

16. Considera grande felicidade poder estar como Maria, aos pés de Jesus e escutar o que Ele te diz... Cuidado, para que teus inimigos (dos quais o maior és tu mesmo) não perturbem, este santo silêncio.

17. A sabedoria cristã é bela aos olhos de Deus, pela inocência da vida que nos ensina, pela retidão e pureza nas intenções que nos inspira; bela aos olhos das pessoas que ela cativa e nas quais desperta o amor à vivência da fé; bela em si mesma, pela sua simplicidade, pela nobreza de seus sentimentos, pela grandes virtudes que inspira e pela glória eterna a que nos conduz.

18. A sabedoria consiste... em propores a ti mesmo, como fim primário e principal de todas as tuas ações, a glória de Deus e a tua eterna salvação. Deves considerar todas as criaturas e todos os acontecimentos como meios para a consecução desse fim.
Jesus diz: "Que vale ao homem ganhar todo o universo, se perder sua alma"?


19. Ao sentires aflição ou uma espécie de abandono, não deixes que a depressão tome conta de teu espírito; mas lembra que bem perto de ti está o Deus das consolações com Jesus que te amou tanto, a ponto de morrer por ti, e que te olha com ternura e paterna expressão de amor; perto de ti está o Espírito Santo, o verdadeiro consolador... Com estes pensamentos expresso o meu desejo ardente de que teu coração se sinta consolado.

20. Inteligência alguma criada jamais compreenderá tudo o que o Espírito de Deus operou de santo e de perfeito na alma de Maria, tão bem disposta, tão ciosa de sua perfeição, tão pura e tão meiga. Glorifiquemos, portanto, o Espírito Santo...,e roguemos-lhe que nos mostre toda a beleza desse quadro magnífico e nos conceda a graça de chegarmos a alguma semelhança com ele em nossa vida.

21. Reflete seriamente sobre a bondade divina. Admira esta bondade de Jesus: quanto fez por teu amor!... Pensa que Ele nos concede graças quase a cada instante. Os nossos dias são repletos delas; e, apesar de tanta abundância de graças, somos tão pobres, tão fracos, tão miseráveis!... Não deixes passar inutilmente os momentos da graça, se não queres te encontrar em má situação na hora da morte.

22. Deus nos visita, diariamente, com muitas luzes, com santos ensinamentos, com boas leituras, com santos exemplos, com os bens e os males que permite: uns são sinais de sua bondade, outros nos lembram de sua justiça. É lamentável não perceber estas graças, estas visitas do Senhor!...

23. Dificilmente esquecemos um período da vida que exigiu de nós um grande sacrifício. Aquilo, na verdade, passou: mas nada restou daquele sofrimento?... Coragem, alegrai-vos! Ficou para vós o santo e puro merecimento. O sacrifício passou, mas os merecimentos estão lá, belos, resplendentes, gloriosos, diante do olhar de Jesus..., para serem transformados, um dia, numa coroa de pedras preciosas. Diga-se o mesmo de cada sacrifício grande ou pequeno que se suporta, todos os dias, a cada hora e minuto.

24. Imprimamos profundamente no coração a verdade fundamental que, onde quer que estejamos, Deus está presente. Ele observa todas as nossas intenções e ações: ao seu olhar perscrutador não foge nenhum pensamento, e até os mais íntimos segredos do coração lhe são claramente manifestos. Deus nos vê!...Que estímulo e conforto na prática do bem!...

25. A oração ...é uma elevação da nossa mente e do nosso coração ao céu; é a união do nosso ser com o Suma Bem; é a ocupação dos anjos no céu, permitida aos homens sobre a terra; é a vida do céu iniciada aqui. Com a oração nos elevamos acima de tudo aquilo que passa...; compreendemos que só Deus é tudo...

26. Pede ao divino Coração o auxílio da sua graça. Que teu desejo de levar uma vida santa seja grande, ardente. Suplica-lhe com humildade e confiança; oferece a Deus tuas orações sempre enriquecidas pelos méritos do preciosíssimo Sangue de Jesus, pela intercessão da Santíssima Virgem Maria, de São José, dos Santos Anjos, dos teus santos Protetores.

27. Rezem por muitos irmãos seus que nunca rezam!...Louvem, bendigam, agradeçam, amem ao Senhor também por aqueles que não O conhecem e não O amam! Suba o incenso de suas orações ao trono de Deus, como subia o perfume das orações de Maria Santíssima, implorando, sobre nossa pobre terra de exílio, a divina misericórdia.

28. É preciso amar a Deus, porque não amá-lo é um tríplice pecado: pecado de desprezo, porque Deus e suas perfeições merecem infinitamente todo o amor de nosso coração; pecado de injustiça... quando amamos mais as criaturas do que o Criador, preferindo assim, o finito ao infinito, o nada ao Tudo, reflexos poucos de bondade e de beleza, que existem nas criaturas, à Bondade e à Beleza absolutas, que há em Deus; pecado de ingratidão, porque tudo recebemos de Deus e nada das criaturas, a não ser alguns bens que Deus lhes concedeu.

29. Com todas as ciências pode-se ser infeliz, com o amor de Deus se é sempre feliz, e o mais ignorante dos homens, que sabe amar, vale mais que os doutos que não O amam. Quando se ama verdadeiramente a Deus, não se tem outra vontade que a Sua, não se ama senão o que Ele ama, não se odeia senão o que Ele odeia, faz-se tudo o que Ele manda, nada do que Ele proíbe; e, deste modo, observa-se toda a Lei.

30. A caridade só é possível com a condição de aceitar o que é antipático nos outros, e eliminar... o que nos é antipático aos outros. A ninguém é lícito dizer: "Eu tenho o meu caráter", ou também. "O caráter de fulano não me grada". Diante de Deus, nenhuma destas desculpas nos dispensará do dever da caridade e legitimará nossas antipatias e impaciências.

Fonte: Instituto das Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus. IASCJ